Don’t think, feel it!

feelthefear

It doesn’t matter how hard you try, probably, is not gonna work.

It doesn’t matter if all you can see now it’s colorful, the sky is getting dark and I have to tell you, even if you wasn’t feeling like hugging her the last time, you’ll gonna miss that moment.

She’s right there in front of you, your fingers can touch her, but not your words, you just can’t mess with her thoughts. Did you notice that everytime that you have an answer to her not-questioned doubts, she runs and changes her mind? She’s gone again.

How many times did you almost tell her how important she is, but the fear shuts you? Maybe she reads in your eyes, but the doubt stills there, so, what you’re gonna do?

It doesn’t matter if it wasn’t planned, the fact is: it’s real and the time is not waiting for you anymore.

Don’t think, feel it! Don’t think, feel!

Go ahead and tell her that it doesn’t matter where your thoughts are or how is gonna be in the future, today, she’s everything you want.

PS: Dear readers, please tell me about grammatical mistakes.

Anúncios

Our dream will become true..

FREEDOM

Vem comigo pro infinito, subir nas asas de um carro veloz e voar!

Vamos juntas gritando na chuva, libertar-mo-nos desta prisão, esquecer os deveres, só tu e eu, pegar algumas peças de roupas e partir. Depois pensamos no futuro, estou cansada de viver nessa pressão! Tudo é tão comum e monótono para nós, gananciosas, queremos muito mais, queremos liberdade! Liberdade!

FREEEEEDOOOOMMM!

Olha dentro dos meus olhos, vê o fogo queimar à todos que tentam me algemar? Vê meu sorriso malicioso querendo arrancá-la desde mundo agora mesmo?

Vejo luzes.. corra! Eles podem nos perseguir, mas jamais nos alcançarão, eles podem nos prender, nós fugiremos! Voltaremos quando a vontade mandar, porque somos donas de nós mesmas, porque somos quem queremos ser.

Agora chega de falar, de escrever, chega de apenas sonhar… ACTION!

Que Ainda sou Capaz

Tanto tempo procurando pelas palavras certas, a forma mais sensata de dizer o que sinto.. Porém, sentimento como o meu não se define em sílabas montadas, nem na agradável melodia que dá vida a letra musical. Ele simplesmente existe.
O amadurecimento dos meus pensametos reflete em minhas atitudes e é comum que o constrangimento me domine por não encontrar a maneira perfeita de me expressar.
Mesmo com doses cavalares de Rivotril, ainda me debato na cama procurando por ti, com o peito vazio, onde deveria teu rosto estar escorado, fazendo-me sentir o doce aroma que exala dos teus cabelos enquanto os acaricio.
Mais difícil que enfrentar o medo é admitir a estranha sensação que uma vez apenas senti. Não sou capaz de evitar, cansei dessa batalha entre mente e coração, deixei que ele vencesse, provando que ainda sou capaz de amar.
Tornei-me mais paciente, mais preocupada, mais certa dos meus objetivos e quero tornar-te meu, não por possessão, mas pela segurança de querer-te ao meu lado. Mesmo tentando, como poderia evitar que acontecesse? Teu jeito, teu olhar e teu sorriso hipnotizam, tornam-me vulnerável.
E do modo mais simples possível, com toda minha impulsividade, trouxe a tona tudo que queria dizer-te. Inesperado momento onde uma onda de informações nos assusta e nos torna frágeis. O que me resta é te segurar em meus braços te fazendo sentir o tremor do meu corpo quente, tornando eterno o momento para tornar-te eterno em mim.

Menina Encantada

Menina triste, perdida, inconformada, mal entendida. Mal interpretada, dançarina, bailarina moderna, cheia de esquemas, cheia de manias.
Cheia de sonhos, atordoada, cansada, desanimada, falescida.
Branca como papel, louca, tonta, sentada, tentando crescer.
Monossilábica, antipática, anti-social, faz-de-conta imposto.
Cabelos despenteados, boba, sorriso cansado, mãos trêmulas. Futurista, idealista, sonhadora, estranha, independente.
Suspeita, calada, dilacerada pelas ideias indesejadas.
Sem graça, engraçada, princesa encantada dos sonhos de alguém.
Apaixonada, visionária, testando a si mesma, caminha, corre e grita no escuro. Inventa, encanta, pra que tanta enrolação?
Descreve, escreve, chora poesia. Não rima, ensina, fotografa com o olhar.
Ri sozinha, talvez tenha bebido demais [reflexão].
Vive para viver, toma lições dos filmes que assiste enquanto dorme sem saber que está dormindo. É simples, fanática, uma metáfora.
Tem amigos, faz amigos, deixa amigos. Deixa pessoas importantes, é deixada por elas também. Constrói uma versão melhor de si.
Doente, revoltada, sábia, mantém as portas trancadas. Coração, solidão, um arbusto seco à espera da chuva.
Assustada, interessada, estridente, incapaz de deixar os seus. A interrogação na ponta da língua, a saudade da cidade antiga, obstáculos não são poucos. Não são impossíveis também.
Não sabe expressar angústias, desconhece seus próprios sentimentos, acredita no amor, perdoa.
Menina dos lábios cortados, sorriso rasgado, toque delicado, onde estás? Sumida, desaparecida após cruzar a rua.
Esquecida, a doce verdade partiu.

Um Gênio Solitário

Um gênio sem pensamentos superiores deixa de ser um, torna-se só mais um em meio a sociedade, um pobre coitado sem nada diferente a oferecer.
O escritor sentado, olhar vago buscando inspiração. O álcool lhe tira o sono, não sabe exatamente o que fazer, busca palavras que indiquem seu desânimo e mais desanimado fica por não encontrá-las.
Deslocado, parado em um de seus lugares favoritos, tenta lembra-se daquilo que já foi tema de suas histórias, mas tudo já foi dito, não há mais o que escrever.
O frio parece congelar suas ideias, onde estão os raios de sol que aqui costumavam descansar?
Mais um gole, outra tragada e ainda a mesma incompatibilidade entre o papel e a caneta, deveras, perdeu a principal fonte de seus textos atuais.
Triste, olha para os pés e a recordação de uma dança lhe vem, submete-se ao passado, quase presente, precisa mais. Acende outro cigarro, torna-se pomposo em sua pose solitária, quase irritado consigo mesmo.
Onde estaria agora se não tivesse esse dom? Talvez afundado em incógnitas, visualizando um futuro que jamais chegaria, enlouquecido pela falta de expressão. Esta é sua realidade agora, um gênio sem gênio algum, como tantos, a maioria, apenas um ser comum.
A música o acompanha, confundindo seus pesares, pequenos trechos que jamais saberia de onde vieram. Queria tê-los escrito.
Acabaram seus cigarros, também o álcool e a vontade de escrever. “Chega de histórias elaboradas” – pensou. Foi buscar de volta sua inspiração.

Tempos

CLIQUE NA IMAGEM E ASSISTA A INTERPRETAÇÃO DO TEXTO "TEMPOS".



Saudade que arde no fundo do peito tão intensa e sombria, tão tua, tão somente minha.
Palhaçadas, histórias estranhas de pessoas carentes, um tiro no escuro, uma vida selvagem.
Saudade.
O coração de gelo derretendo pelo olhar de alguém que não mais o quer.
A rosa que não morre, um feitiço, maldição de um ser perdido.
Do que derrete na boca, a saudade, daquilo que se aloja nos pensamentos e não pode ser encontrado.
A cauda do pavão, azul e cintilante, as unhas coloridas, o All Star sujo, a gritaria do bis.
O barulho da chuva, do flash da fotografia, um filme infantil.
O poema que condena, a poesia que afaga, a bola de gude, um copo de leite.
Saudade.
Saudade dos jacarés, do encanto do ilusionismo, das bênçãos dos bisavós.
O pão no forno, o quente da lareira, o pior está para chegar.
Acordar com o silêncio, investir na alegria de amigos, o sonho de astronauta.
Saudade do que faz falta e do que não faz, de tempos vividos, esquecidos, que não podem voltar atrás.