Correndo a Favor do Tempo

Relógio

Corro o tempo todo, alucinada com deveres e elaborando irritantes estratégias, vivendo na pressão que  faço a mim mesma, torturando-me com regras inexistentes.

O que há de ser feito senão acalmar minha alma e pedir inconscientemente que meus pensamentos descansem? Entretanto, se dormir, o tempo será perdido, as tarefas agendadas adiadas, o caos, a confusão ao perder o controle.

Mantenho nos trilhos a vida à minha maneira, com agenda debaixo do braço e o celular no bolso. Meço palavras e conto os degraus da escada, acordo a tempo de organizar as ideias antes do dia começar.

Essa pressão cotidiana regada a energético e café ainda pode me fazer mal e descarrego então a energia sobre a bicicleta, mas o relógio está no pulso. E o relógio apressa o pedalar.

Aula, trabalho, trabalhos de aula e apresendizado profissional. Família, amigos, namoro, colegas, prioridades, tópicos, listas, … Tornei-me mais um fantasma da minha geração à procura de estabilidade e internamente instável.

Precisava livrar-me das algemas!

Dediquei-me à escrever, esqueci tantas regras, abandonei as preocupações e me encontrei observando a roda de capoeira, o beija-flor batendo velozmente as asas e o mundo que existe ao meu redor.

Anúncios

Encontro esperado

Aqueles minutos não passavam. Incansáveis, incontáveis. Como grãos de areia em uma ampulheta. Queria vê-la, tocá-la, sentir novamente  o cheiro delicado de seus cabelos.
Irritava-se cada vez que olhava o relógio, então decidia não mais olhar, mas não conseguia e lá ia irritar-se novamente.
Não faziam muitos dias que a tinha visto, entretanto, cada hora era eterna longe dela. Tão inversamente proporcional com relação ao tempo em que ela encontrava-se em seus braços. Parecia constantemente em preocupação, pensava em milhares de hipóteses que poderiam acabar com seus planos, ainda assim, a esperança era maior e a saudade imensurável.
Escrevia e treinava o que dizer, mas ao deparar-se com aquele olhar, perdia os sentidos e esquecia tudo. E na tentativa frustrante de lembrar, gaguejava enquanto sua voz aos poucos desaparecia.
O dia lentamente passara e finalmente chegara a hora. Nada mais importava, ninguém mais existia. Ia encontrá-la.